TRT e AMATRA 8 realizam Ato Público em defesa da Justiça do Trabalho

IMG_8148

Magistrados, servidores, advogados, procuradores, estudantes, parlamentares e trabalhadores fecharam a rua em frente ao TRT 8, na manhã desta sexta-feira (31/03). Todos juntos no ato público em apoio à Justiça do Trabalho e ao sistema de garantia de direitos trabalhistas.

O Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, em parceria com a Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 8ª Região – AMATRA 8, alinhados com todos os Tribunais Trabalhistas do País, realizaram hoje (31/03), das 9h às 11h um ATO PÚBLICO EM DEFESA DA JUSTIÇA DO TRABALHO. A manifestação aconteceu em frente ao TRT 8 (Tv. Dom Pedro I, nº750, em frente à Praça Brasil), em Belém, e se repetiu nessa mesma data em vários estados do País.

O objetivo foi chamar a atenção da população para a relevância dos serviços prestados pela Justiça do Trabalho à sociedade, que atua na pacificação de greves e no equilíbrio da relação entre capital e trabalho, visando à garantia dos direitos sociais em sintonia com a necessária preservação da atividade econômica.

Além de alertar para a constante ameaça de fragilização da Justiça do Trabalho por meio de cortes orçamentários, o Ato Público também marca o lançamento de uma campanha nacional idealizada pelo Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor), cujo objetivo é evidenciar que os direitos de patrões e empregados só estarão garantidos com um Judiciário Trabalhista forte e atuante.

“A Justiça do Trabalho cumpre um papel social muito importante. Não apenas para o trabalhador quando tem o seu direito violado, mas também para aquele empresário que cumpre suas obrigações trabalhistas. É inadmissível acabar com uma justiça que funciona neste país. A AMATRA 8 não vai aceitar esses ataques à Justiça Trabalhista. Iremos resistir!”, afirma o Presidente da AMATRA 8, o juiz do trabalho Pedro Tourinho Tupinambá.

Além do ato, o TRT8 organizou, em conjunto com a SRTE, a emissão de 300 carteira de trabalho para jovens atendidos pelo programa de erradicação do trabalho infantil do Tribunal, e realizou panfletagem na praça em frente à instituição, divulgando o aplicativo SimVida, criado pelo programa regional de trabalho seguro.