I Gincana de Direitos Humanos é realizada em Belém

A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 8ª Região – AMATRA8, através do Programa Trabalho, Justiça e Cidadania – TJC, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal e a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos – SEJUDH, realizou na manhã de hoje (07/12), a culminância da 1ª GINCANA DE DIREITOS HUMANOS.

inicio

A data foi escolhida em alusão ao Dia Internacional dos Direitos Humanos, comemorado no dia 10 de Dezembro.  O objetivo principal desta gincana foi de criar situações que incentivem alunos, professores, servidores, pais e comunidade, na construção de atitudes e comportamentos éticos, em consonância com os Direitos Humanos.

A diretora da AMATRA 8, Juíza do Trabalho,  Elinay Melo, uma das organizadoras da gincana, explica que o intuito da atividade é a fixação de tudo o que foi ensinado sobre direitos humanos em 2017. “O objetivo da gincana é fazer justamente com que essas crianças e adolescentes rememorem tudo o que foi tratado a respeito do Programa TJC ao longo do ano, que tinha como tema a violação de direitos. Foram quase quatro meses de provas e eles (alunos) fizeram diversas atividades, como doação de sangue, arrecadação de alimentos, visitas em instituições carentes e abrigos. Então está sendo muito importante ver como esses adolescentes e crianças se engajaram nesses quatros meses. Está sendo muito legal ver a alegria e o entusiasmo deles nas tarefas realizadas hoje”, comemorou.

amarelo azul verde vermelho

Participaram da gincana as escolas estaduais Zulima Virgolino Dias, Helena Guilhon, Benjamin Constant, além do Movimento República de Emaús. Para a avaliação das tarefas realizadas no ginásio do NEL (Núcleo de Esporte e Lazer), foram convidados o Juiz do Trabalho Saulo Marinho Mota – Representando a AMATRA 8, o Senhor Odir Ferreira Palheta – Representando a PRF e a Senhora Arlene Alves, representando a SEJUDH. O Secretário de Justiça e Direitos Humanos, Michell Durans participou da mesa do júri como voto de minerva, já que os membros não votavam abertamente, mas decidiam os melhores trabalhos e apresentações mediante conversa e a decisão era declarada ao final de cada uma das tarefas realizadas pelos alunos.

jurados

O Secretário explica que o evento foi uma culminância a partir da parceria firmada com a AMATRA 8 e a PRF. “Há um ano fizemos uma parceria do nosso projeto Direitos Humanos em Cena, com os juízes do trabalho e com a PRF. No dia de hoje estamos fazendo a nossa primeira gincana de Direitos Humanos, que é justamente essa culminância.” Michell também ressalta a importância da realização dessa atividade como colheita de resultados. “Esse momento é muito importante pra gente, pois é um momento em que colhemos o resultado do nosso trabalho, observando que a educação é o canal ideal pra que possamos obter uma transformação social e ainda por cima ver a alegria dessas crianças em estarem em um dia diferente em que eles podem exercitar a cidadania e, sobretudo, os direitos humanos.”

vencedora

Diversas atividades foram feitas, como jogos de perguntas e respostas sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA); apresentação de maquetes, paródias e coreografias. Tudo voltado para a questão dos direitos humanos. As quatro equipes foram divididas por cores, e com a pontuação final de 2.370 pontos, a grande vencedora da I Gincana de Direitos Humanos foi a equipe Azul, da Escola Estadual Benjamim Constant, em segundo lugar, com 2.000 pontos,  a equipe Amarela, da Escola Estadual Zulima Virgulino Dias, com 1910 pontos, o terceiro lugar ficou com os estudantes do Movimento República de Emaús, que representavam a equipe Vermelha. Em quarto lugar, com 1.450 pontos, a equipe Verde, da Escola Estadual Dona Helena Guilhon. Graças ao patrocínio do Ministério Público do Trabalho, todas as equipes foram premiadas com valores que serão revertidos em bens para a instituição de ensino.